Fla sofre, mas vence Brasil de Pelotas e segue na Copa do Brasil

PAULINHO

 

O Flamengo poderia ter “matado” o jogo de volta da Copa do Brasil lá no Sul, quando vencia por 2 a 0 o Brasil de Pelotas. Mas, no finalzinho da partida, acabou levando o gol. Bom para o Brasil de Pelotas que teve a chance de visitar o Rio de Janeiro e o Maracanã. A equipe gaúcha sabia que teria parada dura e o Flamengo podia perder por até um gol de diferença. Porém, o confronto foi mais difícil do que Vanderlei Luxemburgo e a torcida imaginava. O Brasil jogou fechado e marcando muito. Com isso, complicou  o jogo do rubro-negro, que também parecia estar desinteressado na partida. Só com a entrada de Paulinho, no segundo tempo, o time ganhou um gás. Por isso, o gol que abriu o marcador não poderia ter sido de outro jogador. Eduardo da Silva ainda ampliou nos acréscimos. Com a vitória por 2 a 0, o rubro-negro confirmou a classificação para a próxima fase da competição e agora aguarda o vencedor do duelo entre Salgueiro x Piauí.

Agora o Flamengo volta a focar no Campeonato Carioca. A equipe de Luxa terá pela frente neste fim de semana o líder Vasco. O confronto será no Maracanã, no domingo, às 18h30.

Um primeiro tempo de dar sono. O torcedor rubro-negro que esteve no Maracanã na noite desta quarta-feira viu um primeiro tempo ruim. O Brasil de Pelotas recuado demais e o Flamengo com muita dificuldade de criar, mesmo dominando na posse de bola e buscando o gol nos primeiros minutos de jogo. O time de Luxa ficava com a bola, mas não assustava de forma efetiva.

Com o Brasil não era diferente. O time gaucho, mesmo precisando do resultado, não quis se arriscar. As chances surgiam mais em bola parada e bolas alçadas na área.

Com dificuldades devido à marcação do adversário, o Flamengo tentava em cruzamentos. Na primeira tentativa, Canteros achou Marcelo Cirino dentro da área. O jogador não conseguiu concluir, caiu e ficou pedindo pênalti. Sem sucesso! Minutos depois o mesmo Cirino teve nova chance, mas a zaga se antecipou evitando a finalização do atacante.

Depois foi a vez de Anderson Pico. Na primeira, o lateral viu o goleiro salvar mandando para escanteio. Já na segunda tentativa, o camisa 1 do Brasil de Pelotas nem precisou fazer alguma coisa. Pico chutou tão torto que quase mandou na arquibancada.

A partida seguiu morna até o apito final da primeira etapa. Mas antes, o time gaucho também reclamou um “pênalti” não marcado. Em um cruzamento na área rubro-negra, a bola resvalou na mão de Bressan, mas o árbitro entendeu que foi bola na mão e não mão na bola.

Quem pensou que no segundo tempo a postura seria diferente, se enganou. O Flamengo seguiu sem inspiração, pelo menos nos minutos iniciais, e o Pelotas seguiu marcando bem e esperando para surpreender nos contra-ataques ou nas bolas paradas.

Para tentar animar o time, a torcida do Flamengo “acordou” e passou a cantar.  A cantoria surtiu efeito e o time fez a primeira boa jogada da etapa complementar. Após boa tabela de Anderson Pico e Marcelo Cirino, Gabriel recebeu dentro da área, mas com chute fraco viu a defesa afastar.

A vida do Flamengo só melhorou com a entrada de Paulinho. O atacante quase marcou aos 22` após bola levantada na área por Pará. Esta chance Paulinho perdeu, mas a chance em seguinte ele não perderia. O jogador arriscou o chute e contou com a falha do goleiro do Brasil de Pelotas para abrir o placar para o rubro-negro carioca aos 25’.

O gol deu um alívio ao time e a torcida. A  partir daí, o Flamengo passou a tocar ainda mais a bola administrando a vantagem. Apesar do Brasil de Pelotas tentar partir para cima nos minutos finais e pressionar, o time carioca conseguiu se segurar e Paulo Victor ainda defendeu um chute venenoso de Mena já aos 40`. Já nos acréscimos, Marcelo Cirino arrancou no contra-ataque e Eduardo da Silva fechou o placar.

 

 

 

 

 

 

 


Deixe uma resposta